Comportamento… Mulher…

Texto que li e achei super interessante de Fabrício Carpinejar

POR QUE VOCÊ NÃO ARRUMA NAMORADO?

item0.rendition.slideshowVertical.milan-fashion-week-street-style-01Você não entende como não começa um relacionamento, como não se apaixona novamente, como não muda de vida.

Reclama da ausência de opções. É bonita, inteligente, divertida.

Minha hipótese é que não abandonou o passado.

Mantém flertes com o ex indiferente, ou continua saindo com sujeito que jamais assumirá o romance.

Raciocina que, enquanto não vem o escolhido, o príncipe, pode se entreter com velhas paixões.

Mas todos pressentem quando uma mulher está enrolada, todos intuem o caso mal resolvido, e não se aproximam.

Não virá ninguém para espantar os corvos e dissolver essa atmosfera pesada de Prometeu.

É trabalho em vão soterrar o precipício. Mulher desinteressada é impossível.

Ninguém ousará quebrar o monopólio de sua dor.

Você cheira a encrenca, cheira fidelidade a um terceiro. Seus ouvidos estão lentos, sua boca paira em distante lugar, seus olhos se distraem seguidamente.

Não tem brilho na pele, porém tensão nos ombros.

Sua respiração é um poço de suspiros.

Vive ansiosa por notícias, por reatos, mensagens. Não presta atenção, não se entrega para as casualidades.

Quem enxerga fantasmas não vê os vivos.

Não dá para começar um novo amor sem abandonar os anteriores. Errada a regra que a gente somente esquece um amor antigo por um novo.

Está com o corpo fechado, costurado, mentindo que já não sofre mais com as cicatrizes.

Espera herança, não sai para trabalhar ternuras.

Mendiga retornos, não cria memória.

Sua nudez não responde ao pedido da curva. Nem balança com a música favorita.

Está tomada do carma, do veneno, do ressentimento.

Pensa que está bem, mas está em luto. Uma mulher em luto não permite arrebatamentos, afasta-se na primeira gentileza que receber, recusa a prosperidade das pálpebras piscando nos bares e restaurantes.

Você nunca vai encontrar seu namoro, seu casamento, sua paz, se não terminar de se arrepender.

É preciso guardar o máximo de ar, ir ao fundo, descer na tristeza e nadar para longe dela.

Não amará outro alguém sem solucionar pendências, sem recusar o homem que não a merece, o homem que não vai embora e tampouco fica.

Não amará outro alguém sem abandonar algumas horas de alívio em motéis.

Não amará outro alguém se não bloquear as recaídas, se insistir em ressuscitar as promessas.

Uma mulher nunca será inteira se mantém romances quebrados.

Nunca estará presente.

Nunca estará aqui.

Entenda, minha amiga, só ama quem está disposta a ser amada.

Fonte: Publicado no jornal Zero Hora – Coluna semanal, Revista Donna, p. 6 – Porto Alegre (RS), 28/04/2013 Edição N° 17416

Acho que ele tem muita razão no que diz…

Boa semana…

Beijooooo

azinho

Comportamento… por Fabrício Carpinejar…

Esse texto de Fabrício Carpinejar me tocou muito… Aliás o amor, os mais belos sentimentos correm nas minhas veias em uma intensidade e velocidade…Acho que maior que a velocidade da luz…do som… às vezes penso comigo mesma que seja essa a maior beleza que eu possa transmitir a quem convive comigo… aos  clientes  que me contratam, aos meus amigos que sempre se referem ao meu astral… é viceral… Definitivamente a minha beleza vem de dentro, as roupas que uso são apenas acessórios…

Da uma olhada no Fabrício…

O texto:

Sem você, minha vida está errada. Estou no edifício errado, na rua errada, na cidade errada.
Estou amando errado, abraçando errado, acariciando errado.
Encontro pessoas erradas nos horários errados.
Ninguém estranha, ninguém avisa porque todos são errados comigo e educados.
Estou usando as palavras erradas. Estou respondendo errado. Estou lendo o livro errado. Estou assistindo ao filme errado.
Sem você, estou sonhando errado. Estou contando os sonhos errado. Estou almoçando e jantando errado. Estou acordando errado.
Não estou tomando o lugar de outro, é a minha história: a história errada. Ela me serve igualmente, tem minhas medidas e minha ansiedade, a minha voz e a minha caligrafia.
Ela me engana como se fosse de nascença.
Não há desespero. A falta de esperança me traz calma.
Posso ser feliz errado e jamais desconfiar, posso envelhecer errado e atingir a serenidade, posso morrer errado e ter paz, posso rezar a um Deus errado e ainda ser salvo.
Errar não é o fim de mim. É até uma opção confortável.
Errar não acaba com a estrada.
Eu me tranquilizo pensando que só pode errar quem foi um dia certo, mas é mentira.
O céu está errado de estrelas, e todo brilho me constrange a apontar meu destino com os dedos.
Sem você, acabo de escrever mais um texto errado.
Aquele que deu sua solidão nunca mais será solteiro.

Fabrício Carpinejar

Ele ABALA!!!!

Beijooooooo

azinho